Revista Interdisciplinar de Gestão Social

A RIGS – Revista Interdisciplinar de Gestão Social é uma publicação eletrônica com periodicidade de 4 meses, contando, portanto, com 3 números por ano. É uma publicação vinculada ao CIAGS da Escola de Administração da UFBAUniversidade Federal da Bahia.

Pressupõe-se que a gestão social situa-se na contemporaneidade e em territórios pluridisciplinares de prática e investigação acadêmica, tratando de diversas problemáticas ligadas a campos de conhecimentos tais como Sociologia, Antropologia, Administração, Educação, Geografia, Arquitetura, Ciência Política, dentre outras.

 

O Caráter Interdisciplinar

Ao valorizar essa concepção abrangente e inclusiva da gestão, a RIGS publica documentos originais para o contexto brasileiro. São textos, fotos e vídeos que demonstram sua contribuição para o avanço da pesquisa e da prática com base na interdisciplinaridade.

A RIGS publica documentos inseridos em seis tipologias de contribuição: tecnológica, teórica, vivencial, indicativa, fotográfica e audiovisual. Cada documento deve escolher o tipo que mais o caracteriza, ainda que seja possível o seu enquadramento em múltiplas contribuições. Dessa forma, a cada número publicado da RIGS tem-se a combinação de documentos variados, cada qual com um tipo diferente de contribuição.

 

Formas de Contribuição

Contribuição Tecnológica. O foco dos textos nesta modalidade é analítico-propositivo. Devem desenvolver, analisar, caracterizar e explicar métodos, dispositivos ou tecnologias de gestão social. Serão avaliados pela pertinência e originalidade da proposição, bem como pela sua apresentação detalhada, estruturada e clara.

Contribuição Teórica. Textos nesta modalidade devem propor, desenvolver e sustentar uma contribuição epistemológica, teórica ou conceitual para o avanço da pesquisa em gestão social. Podem ser puramente teóricos ou baseados em pesquisa empírica. Se forem empíricos, podem capitalizar em diversas abordagens metodológicas (por exemplo, estudo de caso, etnografia, auto-etnografia, etnometodologia), mantendo como eixo prioritário a construção teórica. Ou seja, o empírico apóia, orienta e inspira a produção teórica.

Contribuição Vivencial. Textos nesta modalidade são escolhidos pela sua qualidade narrativa e expressiva. Podem ser considerados como casos para ensino, histórias de vida, biografias, entrevistas, etc. Devem inspirar e instigar a reflexão sobre a gestão social e/ou a interdisciplinaridade. Portanto, devem indicar a que teorias, conceitos ou práticas podem ser relacionados, explicando seu potencial de inspiração.

Contribuição Indicativa. Este tipo de texto tem perfil de resenha de livro, bem como de análise de eventos nacionais e internacionais. Podem analisar um ou vários livros publicados ou eventos, destacando suas forças, fraquezas e importância no contexto da gestão contemporânea.

Contribuição Fotográfica. Esta modalidade compreende fotos com uma breve sinopse sobre o seu contexto e sua relevância para o avanço do entendimento sobre um ou vários aspectos da gestão social e/ou da interdisciplinaridade. Devem inspirar, instigar ou renovar a reflexão sobre a gestão social e/ou a interdisciplinaridade.

Contribuição Audiovisual. Esta modalidade compreende vídeoscom uma breve sinopse sobre o seu contexto e sua relevância para o avanço do entendimento sobre um ou vários aspectos da gestão social e/ou da interdisciplinaridade. São avaliados pela sua contribuição estética e argumentativa.Devem inspirar, instigar ou renovar a reflexão sobre a gestão social e/ou a interdisciplinaridade.

 



ISSN: 2317-2428